Como escolher o nome de uma marca: 3 exercícios criativos

Escolher o nome de uma marca deve ser, disparado, o que mais empaca a gente no início de um negócio ou projeto novo.

Esses dias eu estava conversando com uma amiga fotógrafa que está em processo de transformar o negócio dela. Pra ajudar, eu compartilhei com ela alguns materiais, incluindo o questionário que uso pra fazer um mapeamento básico de branding dos clientes aqui do Canteiro. Dias depois ela me mandou uma mensagem assim: “olha, eu já sei a cara da minha marca, a cor, até o cheiro, mas não consegui chegar no nome ainda. Tô perdida”.

Eu dei uma série de dicas e caminhos pra ela, coisas que envolvem processos criativos mesmo, e que vou compartilhar aqui com você.

A ideia desses exercícios é abrir caminho para as ideias fluírem na hora de escolher o nome de uma marca e para que palavras menos óbvias ou com mais sonoridade e significado apareçam.

Lista de palavras-chave

Faça uma lista de palavras-chave pra sua marca, que pode incluir:

  • valores da marca e do público;
  • pontos fortes, diferenciais;
  • sensações, sentimentos e impressões que você quer que as pessoas tenham quando tiverem contato com qualquer coisa da sua marca;

Painel léxico

Um painel léxico é um conjunto de palavras que fazem parte de uma mesma ideia/área de conhecimento. Partindo da palavra café, por exemplo, podemos listar: grãos, água e xícara; se expandirmos mais ainda, podemos chegar em pausa, sabor e convite.

Você pode partir de uma palavra-chave da lista anterior ou de ideias que tenham a ver diretamente com seu produto ou serviço. Simplesmente vá escrevendo ideias que surgem quando você pensa em cada palavra.

Painel semântico

Um painel semântico é um conjunto de palavras que compartilham um significado, um sentido – sim, estamos falando de sinônimos aqui.

Pra cada palavra-chave e pra cada palavra que apareceu no seu painel léxico, faça uma lista de sinônimos. O ideal é usar um dicionário de sinônimos, mas o dicionário “comum”, de significados, inclui alguns sinônimos na maioria das vezes, então também serve – existem os dois tipos de dicionário em opções online gratuitas, aqui e aqui (e o próprio dicionário do Google é bem bom também).

O bacana do painel semântico é que ele vai te trazer novas palavras e, a partir delas, você pode realimentar o painel léxico e repetir o processo, expandindo ainda mais as ideias de palavras.

O que considerar na hora de escolher o nome de uma marca

Essa parte merece um post à parte, mas aqui vão três dicas pra não errar e pra ajudar a filtrar as opções:

  • alinhamento com o branding e o público: o nome precisa estar relacionado ao que a marca quer comunicar. Não precisa ser literal, mas não pode ser completamente aleatório e desconectado do propósito da marca;
  • sonoridade, facilidade de pronúncia e de escrita: seu público vai conseguir pronunciar e escrever o nome sem erros? Nomes simples e curtos são sempre bem-vindos;
  • disponibilidade do nome: o ideal é que o nome não esteja em uso ou, se estiver, que seja em um negócio diferente. É necessário pesquisar em provedores de domínio, INPI e redes sociais. Existe a alternativa de usar uma palavra descritiva junto (é o caso do domínio e das redes sociais do Canteiro, que contém também a palavra estúdio).
designer-piracicaba

Muito prazer, eu sou a Carla!

Sou fotógrafa e designer e, aqui no canteiro, ajudo pequenas marcas a comunicarem melhor o seu propósito e a b(r)otarem suas ideias no mundo usando design, fotografia e vídeo. Saiba mais...