Identidade visual para fotógrafos: a nova marca do Casal Bózeo

Gente, às vezes eu acho a vida maravilhosamente maluca. Em 2012, pesquisar no Google por ‘identidade visual para fotógrafos’, pra minha própria marca de fotografia, acabou sendo, sem eu saber, o ponta-pé inicial pra uma jornada que acabou me levando a trabalhar com design hoje. E em 2018, uma mensagem de um desconhecido no direct do Instagram acabou me trazendo uma amizade incrível, pela qual sou muito grata, com direito a muitas conversas longas sobre fotografia, a vida e além.

O que essas duas coisas têm a ver uma com a outra? Tudo. O desconhecido que virou amigo é o Rapha, e eu acabei fazendo recentemente a nova identidade visual pra ele e pra Camila. Eu não imaginaria isso em 2018, imagina só em 2012? Como eu disse, ah, a vida.

Mas o que importa: vamos falar dessa marca nova.

identidade-visual-para-fotografos

O Rapha e a Camila trabalham juntos na fotografia de famílias e, paralelamente, têm alguns projetos separados – Raphael na fotografia documental, Camila em ensaios femininos.

A marca já existia há vários anos, e se chamava Bózeo Fotografia. No começo, era só o Raphael, mas há dois anos a Camila se juntou à marca também. Eu acompanho os dois desde 2018, e vou te falar: o trabalho deles evoluiu demais de lá pra cá, e a marca que eles tinham já não dava conta de comunicar isso. Eles precisavam de uma marca nova que se alinhasse com a proposta atual deles, que representasse o trabalho dos dois juntos, quem eles são hoje como fotógrafos.

Quando começamos a conversar, dois pontos fortes dessa fase atual e da marca como um todo saltaram muito aos olhos: o fato de eles serem vistos como um casal, uma família fazendo fotos para outras famílias (os clientes deles valorizam isso, e é algo que eles exploram no atendimento e nas sessões fotográficas), e o fato de eles quererem fazer dos ensaios experiências divertidas para as famílias fotografadas.

Então, minha gente, eu fiz o que adoro fazer: dar palpites não solicitados.

(hahahaha, brincadeira)

(não, não é brincadeira, na verdade, mas se justifica, porque era um palpite muito bom pra não dar)

Vou explicar meu palpite: eles me disseram, mais de uma vez, que não iam mudar o nome da marca – ia continuar sendo Bózeo Fotografia.

Mas olha só porque meu palpite se justifica: o questionário que eles responderam, as conversas que tivemos deixaram muito claro que o posicionamento de marca que eles querem fortalecer está totalmente ligado ao fato de eles serem um casal de fotógrafos.

Usar apenas o sobrenome Bózeo é muito impessoal, soa muito mais distante: num primeiro contato com a marca, não dá pra saber nada sobre quem está por trás dessa marca – é uma pessoa só? é uma família? é um homem? uma mulher? Não dá pra saber nada, a não ser que é alguém que tem esse sobrenome.

Isso não é, necessariamente, um problema, mas no caso deles, usar o nome antigo não contribuía pra a mensagem que eles querem passar e para o que, de fato, é a fotografia e a relação deles com as famílias clientes.

E uma outra coisa me preocupava: como a empresa começou com o Rapha, e Bózeo é o sobrenome dele antes de ser da Camila, o nome anterior era muito associado a ele, e não tanto à Camila (eles inclusive me contaram episódios em que isso aconteceu). Eu queria trazer os dois em pé de igualdade nessa marca, porque é assim que eles trabalham e tocam o negócio e a vida.

(e porque sou feminista também, achei no mínimo justo que o design se preocupasse em mostrar essa igualdade, pra não deixar dúvidas sobre o papel da Camila na marca) 🙂

Eu poderia só ter feito a marca com o mesmo nome anterior? Poderia. Mas aí eu estaria fazendo um design sem levar o branding em conta, e não é assim que eu gosto de trabalhar (já escrevi um pouquinho sobre a diferença e a relação entre branding e identidade visual neste post). Um design de identidade visual precisa levar em conta a essência da marca, o que ela quer comunicar e pra quem quer comunicar.

Então eu decidi, logo no começo do processo (sem eles saberem, hahaha) que eu trabalharia com o nome Casal Bózeo. Se eles não aprovassem, ok, mas essa seria minha sugestão e ideia central. E assim a marca começou a nascer, a sair da minha cabeça e ir pro papel.

Depois de muitos esboços, desenhei duas letras B iguais ligadas, com traço orgânico e contínuo, formando um laço infinito no meio, para representar não só os sobrenomes do casal, mas também a união, a parceria e a complementaridade que eles têm no trabalho e na relação com os clientes. No meio do processo de refinar o desenho, inseri também uma letra C, de casal, e fechei a forma de um dos lados, já pensando em usar cor ali. Usei uma tipografia simples, leve e arejada para harmonizar com a forma orgânica e curvilínea, e que também remete à leveza da fotografia que o casal faz, com foco na experiência das famílias. E a versão sem cor ficou assim, quase um yin-yang feito de letras B:

identidade-visual-para-fotografos

O azul do céu e do mar e o laranja do pôr do sol, muito presentes nas fotografias e no cotidiano do casal, que vive em Macaé-RJ, foram a inspiração para a paleta de cores da marca. Os tons ligeiramente mais suaves trazem uma leveza que combina com a forma orgânica, mas sem perder a alegria que eles gostam de registrar nos trabalhos.

identidade-visual-fotografo

A cartela de cores expandida ficou assim:

Essas são as variações de cores e de aplicações da marca – além da principal, uma aplicação horizontal e um quase selo, que no final se tornou a versão favorita deles e talvez eles usem como principal.

(E ah, sim, eles aprovaram a mudança no nome. Viu só? Meus palpites costumam ser bons!) 🙂

identidade-visual-fotografia

Como tanto o Raphael como a Camila têm alguns projetos que fazem individualmente dentro da fotografia, dei a ideia de criarmos submarcas para os dois, para os casos em que eles precisem assinar individualmente um trabalho, mas sem perder a relação com a marca principal:

identidade-visual-para-fotografos

E por último, alguns exemplos de aplicação da marca – sempre gosto de mostrar isso pros clientes, porque torna tudo menos abstrato e dá uma ideia da marca no mundo real.

identidade-visual-para-fotografos-2

E taí a história toda desse projeto. Eu adorei poder remodelar uma marca já existente, e agora Raphael e Camila têm uma marca que conversa de verdade com quem eles são na fotografia e com como eles querem se posicionar no mercado.

designer-piracicaba

Muito prazer, eu sou a Carla!

Sou fotógrafa e designer e, aqui no canteiro, ajudo pequenas marcas a comunicarem melhor o seu propósito e a b(r)otarem suas ideias no mundo usando design, fotografia e vídeo. Saiba mais...