O que é branding, do ponto de vista de pequenos negócios

Eu quero falar de branding, mas, pra falar sobre o que é branding, eu prefiro falar, antes, do que não é branding. Pode ser? Acompanha aqui meu raciocínio.

O que não é branding

Algumas pessoas se chocam um pouco, dada a confusão, mas o seu branding não é o seu logo.

E, pasme, não é sua identidade visual também.

o que é branding, do ponto de vista de um pequeno negócio

Veja só: seu logo, sua identidade visual, sua papelaria e __________ (preencha aqui a lacuna com o que você quiser) são elementos do seu branding. Mas são só isso, mesmo: elementos.

Especificamente sobre a confusão que às vezes as pessoas fazem entre branding e logo, ou branding e identidade visual, eu quero dar um exemplo de por que branding não é nenhuma dessas duas coisas.

Sabe o feed do Instagram? Então. Pensa aí nas marcas que você segue e em como é seu feed quando você está rolando a tela.

Pensou?

Eu vou falar por mim, veja se confere aí: eu sigo muitas marcas, daqui e de fora, seja porque gosto do trabalho, porque sou cliente (ou penso em ser), ou porque o conteúdo dessa marca me inspira visualmente. Sei lá quantas marcas sigo, mais de uma centena, provavelmente. E aí que às vezes, rolando a tela, eu vejo uma foto e, antes mesmo de ver quem postou, eu sei de onde é, eu sei quem postou. Acontece com você também?

Vamos pegar uma marca hipotética de exemplo, uma marca que vende roupas. Eu vejo uma foto no meu feed e eu sei que é daquela marca simplesmente pelo mood da foto: aqueles elementos que aparecem ali nas imagens, naquelas cores, naquela disposição, me causam uma certa sensação, me remetem a uma determinada pessoa, lugar, estado de espírito, cria em mim um certo desejo. E eu sei que quem tem imagens assim é a marca x.

E como eu sei? Pela repetição: toda vez que eu tenho contato com essa marca ela me causa essa sensação específica, então chega um ponto em que eu já reconheço de longe tudo que vem dela. É uma questão de consistência.

Provavelmente, quando eu leio o texto do post, ou quando eu vejo essa marca em outros canais (o site, por exemplo), eu tenho a mesma sensação. Repetição e consistência, isso mesmo.

Isso é sinal de branding bem feito, sem dúvida. Mas me pergunta se eu sei descrever o logo dessa marca? Não sei, não, não lembro nem que cor que tem. Mas justamente porque o branding não é o logo, eu consigo me conectar com essa marca mesmo sem ter contato com esse elemento.

Aliás, quantas vezes eu vejo o logo ou a identidade visual dessa marca no meu feed?

Zero vezes, provavelmente.

Então anota aí: branding não é seu logo, nem sua identidade visual.

Mas, então, o que é branding?

A definição de branding é algo parecido com “como a sua marca quer ser percebida pelas pessoas“. Isso é meio vago, eu sei, e ainda vale a observação de que existe uma diferença enorme entre a marca querer e isso de fato acontecer – mas se o branding é bem trabalhado, isso acontece.

Mapear/entender o branding da sua marca tem a ver com conhecer a personalidade dela e visualizar como você quer que ela seja percebida pelas pessoas – e isso, por sua vez, depende de quem é seu público (as pessoas que você quer atrair/com quem quer trabalhar/pra quem quer vender), quais são os valores que vocês têm em comum, qual é o propósito da sua marca e mais uma porção de coisas.

A relação entre design de identidade visual e branding

Quando eu faço uma identidade visual, obviamente eu vou criar coisas… hmm, visuais rs. Coisas tangíveis. Mas a parte mais importante do processo é sobre o intangível: é 1) eu entender a marca (a proposta, os valores, como ela quer ser percebida) – porque aí fica fácil traduzir isso tudo de uma forma visual –, e; 2) ajudar o cliente a entender mais sobre a marca, porque isso é muito importante pra ele, acima de tudo. Como eu disse lá em cima: a identidade visual é um elemento do branding, não é o branding todo. O branding inclui a forma como essa marca atende o cliente, a linguagem que usa pra escrever nas redes sociais e nos e-mails, os assuntos dos quais fala, as imagens que posta e o ambiente físico em que atende o cliente, só pra dar alguns exemplos. Tudo isso, junto com a identidade visual, precisa estar consistente com os valores, o propósito e o público-alvo pra que as pessoas percebam a marca como ela quer ser percebida.

designer-piracicaba

Muito prazer, eu sou a Carla!

Sou fotógrafa e designer e, aqui no canteiro, ajudo pequenas marcas a comunicarem melhor o seu propósito e a b(r)otarem suas ideias no mundo usando design, fotografia e vídeo. Saiba mais...